Capa do livro

Poesia marginal : palavra e livro

organização Eucanaã Ferraz

A poesia marginal fez dos livros instrumento privilegiado. Sem muito dinheiro, os autores inventaram meios de editar suas publicações, sem depender das editoras, que eram pouco receptivas a um gênero nada comercial. Tudo começou com o mimeógrafo, na época, o principal equipamento de reprodução de textos nas escolas, que serviu ao movimento estudantil para espalhar mensagens políticas. Os poetas utilizavam estêncil; xerox; ofsete; grampos em vez de costura; envelopes e sacos em vez de encadernação; papéis de baixo preço e considerados toscos, como o Kraft; impressão em, no máximo, duas cores; carimbos.

(FONTE: site da editora)

Identificação
Título
Poesia marginal
Subtítulo
palavra e livro
Tipo de Publicação
Cidade de Edição
Estado de Edição
País de Edição
Editora
Ano de publicação
2013
Número de Páginas
192 p.
ISBN / ISSN
9788586707971
Idioma
Ficha Técnica
Autoria (Texto)
Organização
Projeto Gráfico
Impressão
Forma Física
Largura (cm)
28
Altura (cm)
21
Tiragem
1.000
Tipo de capa
Flexível
Tipo de Papel
Offset 150g/m2 Miolo
Tipo de encadernação
Brochura
Conteúdos
Notas de Conteúdo

Contém a entrevista “Poesia Hoje”, publicada em 1976 na revista José, com Heloisa Buarque de Hollanda, Ana Cristina Cesar, Geraldo Eduardo Carneiro e Eudoro Augusto; entrevista inédita com Heloisa Buarque de Hollanda e os poetas Chico Alvim, Chacal e Charles, mediada por Eucanaã Ferraz, com a participação do professor Eduardo Coelho.

Notas de exposição

Catálogo de exposição homônima, realizada no Instituto Moreira Salles, no Rio de Janeiro, em agosto de 2013.

Assuntos Fotográficos
Assuntos Gerais
Referências Externas
URL
Acervo Consultado
A+
A-